Olhar Jurídico

Terça-feira, 25 de junho de 2019

Notícias / Constitucional

MPE investiga excesso de gastos na prefeitura de Várzea Grande após cassação de Lucimar

Da Redação - Lázaro Thor Borges

27 Jul 2017 - 09:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

MPE investiga excesso de gastos na prefeitura de Várzea Grande após cassação de Lucimar
O promotor Deosdete Cruz Júnior abriu inquérito civil público para apurar excesso de gastos com publicidade da Prefeitura de Várzea Grande durante o 1ª semestre de 2016, ano em que a prefeitura Lucimar Sacre de Campos venceu as eleições municipais com mais de 70% dos votos.

Leia mais:
Rodrigo Curvo julgará no TRE manutenção de cassação sobre Lucimar Campos e vice

 
Segundo o inquérito, amparada por informações técnicas oferecidas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), a Prefeitura aumentou em até 600% o valor das verbas publicitárias de governo durante o ano eleitoral. Ao todo, a prefeitura gastou R$ 1.209.568,21 durante o período. A ação é vedada pelo artigo 73 da lei das Eleições.
 
A investigação foi aberta há quase um mês, após decisão do juiz José Carlos Rondon Luz da 20ª Zona Eleitoral, que cassou o mandato da prefeita e do vice-prefeito José Hazama. Apesar da decisão, Lucimar manteve-se no cargo, já que a sentença só terá efeito se confirmada na segunda instância do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso.
 
Com o inquérito civil, a prefeita corre o risco de ser responsabilidade também na Justiça comum, uma vez que a investigação do Ministério Público pode resultar em proposição de uma ação civil pública contra Lucimar.
 
Outro lado
 
Em contato com a reportagem do Olhar Jurídico, a assessoria da Prefeitura de Várzea Grande respondeu que o gasto com publicidade foi menor do que 1% do orçamento e que, por conta disso, não vê razoabilidade na abertura de inquérito. A assessoria também informou que todas as solicitações propostas pelo promotor responsável já foram atendidas antes mesmo de qualquer notificação.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • deovaldo
    27 Jul 2017 às 16:18

    Resumindo: Usou a Máquina pública em período proibitivo a seu favor....kkkkk

  • por justiça
    27 Jul 2017 às 14:11

    isto e piada se esta cassada continua no poder.......

Sitevip Internet