Olhar Jurídico

Segunda-feira, 22 de julho de 2019

Notícias / Criminal

Dono da Caramuru Alimentos fecha delação e deverá esclarecer fraude de R$ 65 milhões

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

11 Abr 2018 - 14:35

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Dono da Caramuru Alimentos fecha delação e deverá esclarecer fraude de R$ 65 milhões
Alberto Borges de Souza, proprietário da Caramuru Alimentos S/A e Walter Souza Júnior, funcionário da empresa, réus pela "Operação Zaqueus", tornaram-se delatores premiados. É o que informa o juiz da Sétima Vara Criminal Marcos Faleiros da Silva nos autos da ação penal que julga o esquema de fraude que teria beneficiado a empresa Caramuru Alimentos em cerca de R$ 65 milhões por meio de pagamentos de propina.

Leia mais:
Roseli torna-se ré por desvio de R$ 8 milhões e passaporte é retido para evitar fuga


Os autos correm em segredo da justiça, contudo veio  aos autos o chamado "incidente de colaboração premiada". "Neste ato, registre-se e autue-se o incidente de colaboração premiada por Walter Souza Junior e Alberto Borges de Souza como apenso da presente ação penal, ficando transferido para esses autos o respectivo Sigilo da origem, estando todos os presentes cientes do referido sigilo”, consta dos autos, conforme obtido pelo site Ponto na Curva.

A própria audiência desta ação penal acontece às 13h30 no dia 20, onde serão ouvidas as testemunhas arroladas pelas defesas. No dia 15 de maio, mesmo horário, serão ouvidos: Themystocles Ney de Azevedo de Figueiredo, Alberto Borges e Walter de Souza. A audiência prossegue no dia 21.

A operação Zaqueus é fruto de trabalho conjunto realizado pela Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), corregedoria da Secretaria de Estado e Fazenda (Sefaz-MT), e com apoio do Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção.

Conforme as investigações, os agentes de tributos do Estado, de forma conjunta e organizada, beneficiaram a empresa Caramuru Alimentos A/S, reduzindo a autuação da empresa de R$ 65.938.391,10 para aproximadamente R$ 315 mil. A movimentação ilegal resultou em pagamentos de R$ 2 milhões em propinas.

Foi destacado, ainda, que a atuação da associação criminosa, composta pelos agentes de tributos estaduais acima mencionados, consistiu também na elaboração de defesas administrativas em favor da Caramuru que seriam assinadas por representante da empresa ou Sandra, com a promessa de que atuariam para, internamente, no âmbito da Sefaz, influir na decisão administrativa tributária correspondente, sendo que em um dos casos houve o julgamento pelo próprio agente de tributos André Fantoni.

Os servidores públicos que participaram do esquema vão responder por associação criminosa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e fraude processual. O servidor André Neves Fantoni foi denunciado, ainda, por coação no curso do processo e estelionato.

Já Walter de Souza Júnior, representante da empresa Caramuru, vai responder por corrupção passiva, fraude processual, estelionato e lavagem de dinheiro. O empresário Alberto Borges de Souza, que também representa a referida empresa, foi denunciado por lavagem de dinheiro.

A advogada Sandra Mara de Almeida, por sua vez, foi denunciada por corrupção passiva e estelionato. O advogado Themystocles Ney de Azevedo de Figueiredo, colaborador, responderá por lavagem de dinheiro.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • José Alberto Silva Batista
    04 Mai 2018 às 15:07

    A justiça no Brasil demora mais dar uma punição a todos aqueles que rouba o povo, não adianta desviar nem um centavo do povo ou da justiça, porque um dia você será punido por isso. Eu trabalhei muito nessa empresa, pois lá o trabalho era escravo, os técnicos de segurança nem ia no local dos trabalhos realizados, eles liberavam o serviço sem ver os riscos, eu fiquei com vários problemas de Saúde, por causa dos males odores fortes e trabhos muito pesados, eu acionei a justiça e ganhei a perícia médica e a perícia no local dos trabalhos prestados, o perito falou se eu estivesse trabalhando nessa empresa eu não poderia mais exercer os mesmos trabalhos, pois trabalhamos muito , lá também morreu uma pessoa soterrada no produto, um verdadeiro descaso com o trabalhador e seus familiares. A justiça só está sendo feita com aqueles que ganham bilhões nas costas do trabalhador, espero que a justiça façam com quer eles paguem todos os danos a minha saúde, pois hoje eu estou restrito acertos tipo de trabalho. A nossa justiça está sendo feita com todos aqueles que brincam com ela, eu só espero desfrutar dos meus direitos em vida, espero que essa empresa me paguem o que me deve. Agora está nas mãos da justiça, só depende dela os meus direitos, para que eu possa receber...

  • Luciano
    16 Abr 2018 às 08:30

    Imposto no Brasil é roubo.

  • Lucélia
    15 Abr 2018 às 11:23

    A Caramuru foi apenas mais uma vítima de extorsão por parte de agentes públicos corruptos. Quem conhece o Sr. Alberto, sabe de sua índole, sua humildade, sua garra e seu espírito empreendedor. Acordar todo dia, pensando em 3.000 empregados diretos e suas famílias, mais uns 10.000 indiretos, atuar num segmento de margens baixas, lidando com essa carga tributária monstruosa, lidando com agentes públicos corruptos (que adoram um “café”), arcando com um Custo Brasil que inviabiliza qualquer investimento, num país com um judiciário lento e jurássico e mesmo assim persistir dia após dia no negócio, confiando e acreditando no país...não é para qualquer um!

  • Osvaldo Dorigo Andreo
    15 Abr 2018 às 08:37

    Sempre considerei esta empresa muito séria, tive a oportunidade de trabalhar por um período nesta empresa em Itumbiara-Go sendo Gerente de planta Industrial. Uma surpresa para mim que sempre elogiei a gestão desta empresa. Estamos falidos moralmente. Precisamos começar de novo. Como? Eu não sei!!!

  • Daniel Boone
    12 Abr 2018 às 05:02

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Aline
    12 Abr 2018 às 02:12

    É por isso e por outras que a saúde está falida, a educação é péssima, e não temos segurança. A corrupção, mãe de todas as causas.

Sitevip Internet