Olhar Jurídico

Sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Notícias / Criminal

morte no bope

MPE pede absolvição de dois policiais acusados de matar tenente Scheifer

Da Redação - Arthur Santos da Silva

05 Jul 2021 - 15:09

Foto: Reprodução

MPE pede absolvição de dois policiais acusados de matar tenente Scheifer
O promotor de Justiça Paulo Henrique Amaral Motta, do Ministério Público de Mato Grosso (MPE), pediu absolvição de dois militares processados pela morte do tenente Carlos Henrique Scheifer, do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Conforme o órgão acusador, apenas Lucélio Gomes Jacinto deve ser condenado.

Leia também 
Marcado julgamento de PMs acusados de matar tenente Scheifer

 
Na ação pela morte, são réus, além de Jacinto, os policiais Joailton Lopes de Amorim e Werney Cavalcante Jovino. Os envolvidos chegaram a ser presos em março de 2019, mas foram liberados dias depois em decisão do Tribunal de Justiça.

A motivação do crime, segundo o MPE, foi evitar que a vítima adotasse medidas contra os denunciados que pudessem resultar em responsabilização e, até mesmo eventual perda da farda, por desvio de conduta em uma operação que culminou na morte de um suspeito de roubo na modalidade “novo cangaço”.
 
Consta na denúncia que Scheifer foi atingido por um disparo frontal efetuado pelo próprio colega de farda na região abdominal em um local que havia sido, no dia anterior, palco de confronto entre policiais e suspeitos de roubo.
 
Exame de confrontação balística feita no projétil que ficou alojado no corpo da vítima constatou que o disparo que culminou na morte do 2º Ten PM Scheifer partiu do fuzil portado pelo acusado Lucélio Gomes Jacinto.
 
Por outro lado, no que tange aos acusados Joailton Lopes de Amorim e Werney Cavalcante Jovino, o MPE argumenta que “tais elementos não se apresentam de forma inequívoca nos autos, inexistindo arcabouço probatório suficiente que demonstre que os réus concorreram para a aludida conduta criminosa”.
 
Apesar das incongruências entre os depoimentos e versões apresentadas, não é possível a conclusão de que, em unidade de desígnios e identidade de propósitos com o acusado Lucélio Gomes Jacinto, os réus Joailton e Werney mataram a vítima.
 
“Desta feita, não havendo certeza da autoria, ainda que como participa ção, quanto aos acusados 3º Sgt PM Joailton Lopes de Amorim e Sd PM Werney Cavalcante Jovino, impõe -se as respectivas absolvições por insuficiência de provas, ante o princípio in dubio pro reo, o qual nesta fase vigora”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet