Olhar Jurídico

Segunda-feira, 22 de abril de 2024

Notícias | Criminal

PRISÃO MANTIDA

Falso veterinário que vendia anabolizantes adulterados em Cuiabá é condenado a nove anos

Foto: Reprodução / Ilustração

Falso veterinário que vendia anabolizantes adulterados em Cuiabá é condenado a nove anos
O juiz Jean Garcia de Freitas Bezerra, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, condenou Honácio Gleik Ferreira a nove anos de reclusão, em regime inicial fechado, pelos crimes de falsificação, corrupção, adulteração, alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, lavagem de dinheiro ou ocultação de bens. Em maio de 2023, ele foi preso flagrado vendendo anabolizantes falsos em academias de Cuiabá e Várzea Grande. Sentença proferida nesta segunda-feira (26) ainda cabe recurso.
 
Leia mais
Suspeito de desviar cargas da Ambev, empresário continua com contas bloqueadas e monitorado por tornozeleira

 De acordo com os autos, Honácio, que se passava ainda por veterinário, foi preso no ano passado por ter falsificado e adulterado produtos medicinais e vendido estas substâncias ilícitas nas academias. Ele foi preso em flagrante e foi verificado que os anabolizantes ficavam armazenados em sua casa e em seu carro, que utilizava para fazer as entregas.  

Ainda segundo o processo, Honacio Gleik forjava etiquetas para os produtos em uma gráfica situada dentro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

A Delegacia Especializada de Estelionatos e outras Fraudes (DEEF) teve êxito, após investigações, e o prendeu em flagrante. 

Durante a investigação, a delegacia especializada obteve informações de que o homem de 38 anos adquiria insumos e subprodutos químicos, sem comprovação de procedência, e falsificava produtos e medicamentos de uso controlado, sem qualquer autorização sanitária.

Os produtos eram comercializados, oferecendo-os e comercializando a várias pessoas. Com as informações coletadas, o delegado Marcelo Torhacs representou por mandado de busca e apreensão, cumprido em 2023.
Durante as diligências, os policiais civis apreenderam em uma casa, no bairro Lixeira, rótulos, embalagens e produtos químicos sem procedência ou comprovação fiscal, demonstrando que o autuado se dedicava à falsificação de produtos para comercialização em academias de Cuiabá e região.

A Vigilância Sanitária de Cuiabá esteve no local, após ser acionada pela Polícia Civil. Na casa dele, foram apreendidos 17 rótulos de durateston, trembolona, enantato, boldelona, somatropina, creatina, whey protein, dentre outros produtos, além de um veículo Jetta, ano 2015, que foi apreendido.

O investigado tem registros criminais da mesma natureza em outro estado. Ele foi autuado em flagrante delito pelo crime de falsificar medicamentos e produtos terapêuticos, previsto no artigo 273 do Código Penal, delito considerado hediondo cuja pena é de 10 a 15 anos de reclusão.

Examinando o caso, o juiz considerou as provas colhidas nos autos para condená-lo. Para mantê-lo preso, Jean Garcia verificou que ele violou a ordem pública, de forma grave, além de ter possibilidade de reiteração delitiva, já que ele se declarava médico veterinário para falsificar os rótulos destinados aos crimes, pelo menos desde 2019.

“Logo, conclui-se que é imperiosa a manutenção do recolhimento ao cárcere durante a fase recursal. Haja vista o concurso material de delitos, fixo a pena definitiva do condenado em 09 anos de reclusão e 610 dias-multa, correspondentes a um trigésimo do salário mínimo vigente à data dos fatos. Fixo o regime inicial fechado para o cumprimento da pena do condenado”, proferiu o magistrado.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet