Olhar Jurídico

Segunda-feira, 20 de maio de 2024

Notícias | Civil

ARROLADO COMO TESTEMUNHA

Ex-deputado que firmou acordo em ação sobre 'mensalinho' vai depor por esquema com gráficas na AL

Foto: Reprodução

Ex-deputado que firmou acordo em ação sobre 'mensalinho' vai depor por esquema com gráficas na AL
O ex-deputado estadual Carlos Azambuja, que recentemente celebrou acordo para se livrar de ação por suposto desvio de R$ 4 milhões, foi arrolado como testemunha de defesa do servidor da Assembleia Legislativa, Luiz Bastos Pommot, em ação de improbidade que apura fraudes em contrato para aquisição de materiais gráficos para a casa de leis.


Leia mais
Suposto mandante de chacina em Campo Novo do Parecis é mantido preso por ministro do STJ

 
O depoimento será prestado no dia 17 de abril, às 14h, na ação por suposto ato de improbidade administrativa no qual consta como réus os ex-deputados Mauro Savi, Sérgio Ricardo (atual conselheiro e presidente do Tribunal de Contas do Estado), servidor da Assembleia Luiz Márcio Bastos Pommot, o empresário Lídio Moreira dos Santos e a empresa Espaço Editora Gráfica e Publicidade Eireli.
 
Segundo o Ministério Público do Estado (MPE), houve irregularidades na adesão a Ata de Registro de Preços nº 003/2012, oriunda do Pregão Presencial para Registro de Preços nº 093/2011, da Secretaria Estadual de Administração, visando a contratação de empresa especializada no fornecimento de materiais gráficos e correlatos. O órgão ministerial pediu, em 2021, que os alvos sejam condenados a ressarcirem os cofres públicos em R$ 405 mil.
 
Em despacho assinado no último dia 7, a juíza Celia Regina Vidotti, da Vara Especializada em ações coletivas, deferiu pedido de Pommot e autorizou que Azambuja deponha como sua testemunha de defesa.
 
“Desta forma, defiro o pedido juntado no id. 143427788, para ouvir a testemunha Carlos Antonio de Azambuja, por meio de videoconferência, na audiência designada para o dia 17/04/2024, às 14h”, proferiu.
 
Acordo

Em janeiro, o juiz Bruno D’Oliveira Marques homologou acordo e extinguiu a punibilidade do ex-deputado estadual Carlos Antônio Azambuja, em ação que o Ministério Público o acusava de ter recebido R$ 4 milhões a título de “mensalinho” na Assembleia Legislativa.
 
Com o acordo, Azambuja, além de confessar o esquema, se comprometeu a devolver R$ 163.237,18 aos cofres públicos, em setenta e duas parcelas mensais de R$ 2.267,18 em favor do Estado de Mato Grosso, referente ao valor da metade das notas fiscais de recebimento de materiais assinadas por ele enquanto Deputado Estadual, até julho de 2012.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet