Olhar Jurídico

Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Notícias | Civil

R$ 59,1 mil

Autora de assassinatos em Peixoto foi acionada por não pagar aluguel e "estragar" casa onde matou as vítimas

Foto: Reprodução

Autora de assassinatos em Peixoto foi acionada por não pagar aluguel e
Inês Gemilaki, autora do duplo homicídio que vitimou Pilson Pereira da Silva e Rui Luiz Bogo, neste domingo (21) em Peixoto de Azevedo, foi processada em 2023 por inadimplência no aluguel da casa onde cometeu os assassinatos, além dos danos materiais que causou no imóvel. Segundo a Polícia Civil, possível motivação para as execuções teria sido a ação de cobrança sobre o aluguel.


Leia mais: 
Mãe e filho que mataram duas pessoas a tiros não conseguiram assassinar dono de imóvel, diz delegada

Inês firmou contrato de locação da casa situada na rua Thiago Magalhães Nunes, nº 1403, bairro Alvorada, no município, em 2021 com prazo de seis meses, cujo início foi em 30 de março e o término 30 de setembro daquele ano, por R$4,5 mil mensais.

Ao termino do prazo inicial, em 28 de setembro daquele ano, Inês assinou renovação do contrato por mais seis meses, cujo início foi em 29 e término 29 de março de 2022, por R$5 mil. No entanto, ela só saiu da casa um mês depois, em maio daquele ano.

Diante disso, ela entrou no polo passivo de ação de cobrança de aluguel com indenização por danos materiais e lucros cessantes, em maio de 2023. Pessoa identificada como Raquel Soares da Silva foi quem acionou Inês na Justiça.

Foi alegado na petição inicial que Inês, além de deixar de pagar o aluguel do mês de maio, devolveu a casa em péssimas condições de manutenção e higiene, com deteriorações em peças sanitárias, fechaduras, pisos, papeis de paredes, câmeras de segurança, portão eletrônico, além de outras avarias, que não correspondem com o mero desgaste natural.

Mesmo sabendo da inadimplência do aluguel, contas de consumo e do estado precário da casa quando da desocupação, Inês se negou a pagar, bem como reformar a residência para devolvê-la como encontrou no momento da locação.

Em razão disso, ela foi acionada na Justiça para pagar R$5 mil do mês inadimplido, R$44.197 sobre a deterioração da casa e R$10 mil pelos lucros cessantes, totalizando R$ 59.197,86.

No entanto, em agosto do ano passado, o juiz Francis Dias Paiva considerou que Raquel não comprovou suas alegações iniciais e julgou improcedente os pedidos de cobrança. Ou seja, Inês saiu vencedora da ação.

Uma das linhas de investigação da Polícia Civil é de que mãe e filho, identificado como BRuno Gemilaki, mataram duas pessoas em uma festa de aniversário, em Peixoto de Azevedo (673 km de Cuiabá), devido a uma cobrança de aluguel. Eles estão sendo procurados pelas forças de segurança.

Pilson Pereira da Silva e Rui Luiz Bogo na residência com várias pessoas quando Inês Gemilaki e o filho Bruno Gemilaki invadiram a casa. As vítimas estavam comemorando um aniversário. No entanto, a delegada Ana Marien afirmou que os algozes não conseguiram atirar no alvo deles e que as duas pessoas assassinadas não teriam relação com a motivação do crime.
 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet