Olhar Jurídico

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias | Criminal

SEM CAUTELARES E FIANÇA

Advogada presa em flagrante dentro de cartório após golpe de R$ 75 mil em leilões de imóveis é libertada após custódia

Foto: Reprodução

Advogada presa em flagrante dentro de cartório após golpe de R$ 75 mil em leilões de imóveis é libertada após custódia
O juiz Moacir Tortato, do Núcleo de Audiência de Custódias da Capital, concedeu liberdade provisória à advogada Divaneide dos Santos Berto de Brito, presa em flagrante dentro de um cartório na tarde desta terça-feira (21), em Cuiabá. Ela é acusada de aplicar golpes na compra de imóveis que somam R$ 75,7 mil. Seu comparsa, Antônio Carlos dos Reis, também foi preso e liberado.


Leia mais: 
Omissão e atendimento aos interesses de empresa acusada de fraudes: MPE embarga ordem que extinguiu o Cristalino II

Divaneide foi defendida pelos advogados Fernando Faria e João Sobrinho, que conseguiram concessão para que ela fosse liberada, após a audiência de custódia, sem arbitramento de fiança ou aplicação de medidas cautelares. Antônio Carlos também conseguiu a provisória.

Segundo as investigações, o casal procurava vítimas e oferecia imóveis que seriam leiloados. Porém, os apartamentos ou as residências continham documentação falsa e não constavam nas praças dos leiloeiros oficiais. Na terça, duas pessoas acionaram a polícia após perceberem que estavam caindo em fraude na compra de um apartamento.  

Segundo o casal vítima do golpe, a advogada os procurou para oferecer um apartamento em um leilão da Justiça do Trabalho. As vítimas negociaram a compra, depositando como sinal a quantia em dinheiro de R$ 22 mil. 

Depois da negociação, as vítimas verificaram indícios de que estariam sendo enganadas e após comparecerem na Justiça, constataram que os documentos sobre a arrematação do imóvel eram todos falsos. Ainda assim, agendaram para a tarde desta terça-feira a assinatura da transferência do imóvel para dar flagrante à situação. 

Os golpistas foram presos em flagrante após o casal acionar a polícia. Ainda do cartório, o casal telefonou para um agente bancário que eles conheciam e que, coincidentemente, havia sofrido o mesmo golpe há alguns meses e perdido R$ 53 mil. Ele também foi à delegacia registrar um boletim de ocorrência. 

À reportagem, a vítima, que preferiu não se identificar, explicou que sofreu o golpe quando a golpista o procurou informado sobre o arremate de um leilão para a compra de um apartamento em Cuiabá. 

O golpe, segundo ele, consiste em dar um valor de entrada para arrematar o imóvel. Nisso, a mulher prometeu que o nome seria incluído na matrícula como proprietário do bem. Acreditando estar tudo certo, o homem arrematou o aparamento 

Depois, a mulher ofereceu um terreno em Chapada e o homem também fechou negócio. Ele disse que acreditou na idoneidade da suspeita porque a mulher enviou um apanhado de documentos referente à propriedade, como laudo, documento e vistoria. 

Ele efetuou o pagamento das entradas via Pix em duas contas: uma de pessoa física, que não era no nome advogada; e outra de pessoa jurídica, que ele disse crer ser de um laranja. 

Quando chegou no cartório para fazer o registro dos imóveis, o homem foi surpreendido com a informação de que a documentação que ele portava não tinha efeito algum para compra. Ele entrou em contato com a golpista e pediu o ressarcimento do valor, mas sem sucesso. 

Diante disso, a polícia logrou êxito em prender o casal de golpistas em flagrante. Após serem submetidos à audiência de custódia, nesta quarta-feira (22), foram colocados em liberdade provisória por decisão do juiz Moacir Tortato.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet