Olhar Jurídico

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias | Civil

R$ 32 MILHÕES EM RJ

Banco discorda de plano alternativo apresentado por credores e juiz suspende assembleia para negociar dívidas de produtores

Foto: Reprodução / Ilustração

Banco discorda de plano alternativo apresentado por credores e juiz suspende assembleia para negociar dívidas de produtores
O juiz Pedro Flory Diniz Nogueira decidiu suspender assembleia geral que estava marcada para esta terça-feira (28) no processo de recuperação judicial do casal de produtores Vilson Paulo dos Reis e Celia de Freitas dos Reis, de Campo Verde, que buscam a Justiça para tentar renegociar as dívidas de R$32 milhões junto aos seus credores.


Leia mais: 
Copeiro de churrascaria, dono de loja e traficante: TJ manda soltar Jimi Hendrix

O magistrado atendeu pedido do banco Rabobank International Brasil S/A, o qual informou que o plano alternativo apresentado no processo, previsto para ser debatido na referida assembleia, não teve a convergência de interesse de todos os credores, e que os produtores não teriam como pagar os créditos.
 
O argumento do Banco é que o casal de produtores não teria como arcar com a estratégia alternativa, uma vez que a mesma previa o pagamento de 100% dos créditos de todas as classes, em duas parcelas iguais, “fato que contraria a projeção do caixa da empresa recuperanda”, pontuou o Rabobank.
 
Além disso, houve descumprimento de ordem do Tribunal de Justiça porque o juízo de primeira instância aceitou a nova proposta sem que todos os credores tivessem concordado com isso.
 
A apresentação do novo plano foi embargada no TJMT, que ainda não julgou o recurso. Por isso, o juiz Pedro Flory Diniz decidiu suspender a assembleia geral que estava marcada para amanhã até que os desembargadores reexaminem o agravo de instrumento que pretende cancelar a nova proposta.
 
“Destarte, considerando que a matéria pende de apreciação pelo egrégio Tribunal que decidirá se foi respeitado o teor do seu acórdão ao determinar a apresentação de plano pelos credores, “se assim convergir seus interesses”, entendo por bem suspender, por ora, a Assembleia que ocorreria em primeira convocação no dia 28 e em segunda convocação no dia 06 de junho, até o julgamento do agravo de instrumento interposto”, proferiu.
 
Golpe na venda de propriedade, estiagem, dívida que passou de R$28 para 40 milhões, e demais questões foram os fatores que levaram o casal a pedir a Recuperação Judicial, em 2020, por dívidas de R$ 31.929.760,13.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet