Olhar Direto

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Governador 'alerta' criminosos e estima que quase R$ 70 milhões pagos por Silval tenham sido estornados

Da Reportagem Local - Raoni Ricci e Patrícia Neves

06 Jan 2015 - 11:28

Foto: Assessoria

Governador Pedro Taques visita Secretaria de Segurança Pública

Governador Pedro Taques visita Secretaria de Segurança Pública

O governador Pedro Taques (PDT) visitou hoje (06) a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP) e fez um alerta direto aos criminosos que atuam em Mato Grosso: 'você que está pensando em cometer crimes, fique esperto'. A declaração é o reflexo do rigor que Taques espera de sua equipe de Segurança, chefiada pelo secretário e promotor do Minstério Público Estadual (MPE), Mauro Zaque. Quando deixava a sede da pasta, no Centro Político Administrativo, o governador ainda avaliou que pelo menos R$ 70 milhões tenham sido estornados da Conta Única do Estado em função de pagamentos irregulares.

Leia também:
Decreto de Taques antecipa recadastramento de servidores e inclui aposentados e pensionistas no “raio-x”

Foi a segunda secretaria visitada pelo chefe do Executivo, que esteve ontem (05) na Secretaria de Estado de Saúde (SES). Nesta quarta-feira (07) ele vai conversar com os servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). As visitas funcionam como uma demonstração de apoio político aos respectivos secretários e também para abrir uma série de diálogos com os servidores de cada pasta. 

Pedro Taques explicou que desde hoje já estão sendo realizadas várias operações integradas entre a Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil e Polícia Federal e explicou alguns de seus decretos, assinados no dia 02 de janeiro, especialmente em função da suspensão de nomeações, que atingem diretamente os aprovados em concursos públicos. 

"Nós editamos decretos para cortar gastos e faremos isso, mas ali realmente existem exceções. A segurança é uma delas. Nós vamos analisar caso a caso as contratações, detalhadamente, para possamos atender as demandas da Segurança Pública", afirmou Taques, que encontrou com representantes dos 600 aprovados no concurso da Polícia Civil logo na saída do prédio da SESP. 

Para Taques, o maior gargalo da Seguraça é o déficit financeiro, o que vai exigir um esforço concentrado da equipe econômica e de projetos estratégicos nos próximos anos. Os índices de criminalidade preocupam. 

"A situação financeira de Mato Grosso não vai bem, todos sabemos, mas estamos trabalhando para que tenhamos recursos, pois sem dinheiro não se faz segurança, os policiais precisam de coletes de qualidade, de armamento, de descolocamentos. Segurança é prioridade. Foram 500 homicídios em 2014, contra 324 do ano anterior. Mato Grosso tem 34.4 homicídios para cada cem mil habitantes, enquanto São Paulo tem 17 para cada cem mil. Isso nós vamos mudar, vamos cuidar da nossa gente", disse. 

Montante estornado

O governador preferiu não fazer pré-julgamento sobre os gastos realizados no governo de Silval Barbosa (PMDB) e estimou que pelo menos R$ 70 milhões tenham sido estornados pelo Banco do Brasil ontem (05).  

"Gastaram muito, houve gastos desnecessários, isso é fato. Vários pagamentos foram estornados, a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) está analisando isso, mas me parece que algo em torno de R$ 70 milhões", informou Taques. 

Durante coletiva no último dia 2, o secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, informou que seria possível o cancelamento de uma parte dos pagamentos efetuados. Declarou ainda que na Conta Única do Estado, contrariando as declarações de Silval Barbosa (PMDB), somente o montante de R$ 84 mil foi deixado como saldo.  Pouco depois de deixar o comando do Executivo, Barbosa fez declarações à imprensa onde afirmou que deixava em conta um total de R$ 4,5 bilhões em convênios assinados e um total de R$ 800 milhões em saldo nas contas. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet