Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

máquina inchada

Mantive as leis salariais e estou apanhando, mas nada é mais gratificante do que fazer justiça, diz Taques

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Mantive as leis salariais e estou apanhando, mas nada é mais gratificante do que fazer justiça, diz Taques
A convocação de milhares de aprovados em concurso público e a manutenção das leis de carreiras, ações responsáveis pelo crescimento substancial da folha de pagamento do governo de Mato Grosso nos últimos anos, representaram uma “questão de justiça” e, se necessário, seriam feitas novamente. O desabafo  partiu do governador José Pedro Taques (PSDB) ao reclamar pelo fato de ter sido duramente criticado por adversários e até aliados diante da decisão de manter dezenas de leis de carreira e ainda conceder a Revisão Geral Anual (RGA), na íntegra, em todos os anos.
 
O chefe do Poder Executivo entende que agiu corretamente e que fez justiça. “Não há nada mais gratificante do que fazer justiça. Justiça não tem adjetivo, não tem predicativo. Justiça não é boa nem limpa. É o que deve ser feito. E isso foi feito na nossa administração”, observou ele, no Salão Clóves Vettorato do Palácio Paiaguás.

Leia Mais:
- Júlio Campos culpa Marrafon por ‘desastre econômico’ e diz que ele não merece ser deputado federal

- Novo líder “estreia” com manobra para impedir votação de projeto que pressiona Taques
 
Taques citou o fato de que vem sendo atacado por causa da sua decisão, pois muitos defendiam que contestasse, no âmbito do Poder Judiciário, as leis aprovadas pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso, até 2014. “Mantive todas as leis salariais. Estou apanhando mais do que couro de tamborim, em razão disso. Mas eu tenho a consciência tranqüila e a convicção de que fiz a coisa certa”, ponderou ele, para a reportagem do Olhar Direto, em evento no Palácio Paiaguás.
 
Alguns ex-aliados, como o ex-governador Júlio Campos (DEM) e o ex-prefeito Mauro Mendes (DEM) avaliaram, na semana passada, que Taques prejudicou Mato Grosso, com a convocação dos concursados e as leis de carreiras.
 
O governador também considera acerto convocar os aprovados em concursos do Estado. “Eu entendo que, apesar que alguns falarem que nós erramos, eu quero errar de novo de manter as leis de carreiras que aumentaram os salários dos servidores. E quero convocar os aprovados em concurso”, citou ele, para o Olhar Direto.
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet