Olhar Direto

Domingo, 14 de agosto de 2022

Notícias | Política MT

NOS BASTIDORES DA SUCESSÃO

Victório Galli confirma diálogo com Taques, mas nega rasteira em Rossato: ‘PSL não tem plano B’

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Victório Galli confirma diálogo com Taques, mas nega rasteira em Rossato: ‘PSL não tem plano B’
O presidente regional do PSL, deputado federal Victorio Galli, confirmou  ao Olhar Direto ter conversado com o governador José Pedro Taques (PSDB), principalmente sobre emendas parlamentares, mas negou que tenha orquestrado uma rasteira no ex-prefeito Dilceu Rossato (PSL), até então pré-candidato ao governo de Mato Grosso. “Desistiu mesmo? O partido não recebeu qualquer comunicado. O  Rossato era o nosso candidato a governador. O PSL não possui plano B”, reagiu Galli, após o anúncio do recuo da pré-candidatura nesta manhã.
 
Victorio Galli explicou que o diálogo com Pedro Taques sempre foi institucional, para tratar questões de Estado.  “Eu sou deputado federal e fui coordenador da bancada de Mato Grosso. Tenho que emendas a liberar e, por isso, devo conversar com o governador, com os prefeitos, com outros parlamentares”, argumentou ele, para a reportagem do Olhar Direto.
 
Leia Mais:
- Rossato desiste de pré-candidatura ao governo e dispara críticas a Galli: "Está usando o partido" 

- Pré-candidata ao Senado, professora Maria Lúcia prioriza revogar PEC que trava investimentos em educação

O presidente do PSL foi responsabilizado por Dilceu Rossato por desistir da candidatura ao Palácio Paiaguás. O então pré-candidato acusou Galli de articular em suas costas, em favor de uma aliança da legenda em prol da reeleição de Pedro Taques.
 
Em resposta às críticas, o parlamentar do PSL argumentou que não possui inimigos e mantém bom relacionamento com todos os segmentos.  “Todo o mundo é meu amigo. Eu não tenho inimigos”, disparou Galli, numa resposta às insinuações de Rossato, de que estaria ‘vendendo’ o PSL.
 
A ausência de um comunicado formal do pré-candidato a governador também foi citada pelo presidente da sigla. “Estou aguardando um documento oficial. Até agora ele não comunicou ao partido. Assim que receber o comunicado oficial, vamos decidir que rumo tomar”, citou Galli, embora a notícia sobre a saída de Dilceu Rossato tenha sido manchete em todos os sites noticiosos de Mato Grosso, nesta sexta-feira (8).
 
Com Rossato na disputa pelo governo de Mato Grosso, o PSL teria também uma chapa forte ao Senado da República, com a juíza aposentada Selma Rosane Arruda (PSL) e o senador José Antônio Medeiros (Podemos). Sem ele, Victorio Galli terá de levar o PSL para uma candidatura a governador na qual comporte os seus pré-candidatos ao Senado.
 
Numa eventual chapa de reeleição do governador Pedro Taques, é praticamente certo que uma das vagas ao Senado, na chapa, seja destinada ao deputado federal Nilson Leitão (PSDB). Nesse contexto, sobraria apenas um apara acomodar Selma Arruda ou José Medeiros.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet
x