Olhar Direto

Sábado, 23 de outubro de 2021

Notícias | Política MT

CONTANDO MOEDAS

“A eleição não precisa ter tantos gastos”, afirma Taques ao defender respeito ao limite imposto pelo TSE

26 Jun 2018 - 07:58

Da Redação - Ronaldo Pacheco / Da Reportagem - Érika Oliveira

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Pedro Taques e Lucimar Campos visitaram obras, em Várzea Grande, sem a presença de Jayme Campos

Pedro Taques e Lucimar Campos visitaram obras, em Várzea Grande, sem a presença de Jayme Campos

A exigência de redução drástica no custeio das campanhas eleitorais é um desafio para os pré-candidatos ao governo de Mato Grosso e Senado da República, principalmente por causa do histórico milionário das contendas. A expectativa do governador José Pedro Taques (PSDB), pré-candidato à reeleição, é de que os candidatos consigam concluir o pleito nos limites fixados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em R$ 5,5 milhões no caso da batalha pelo Palácio Paiaugás.
 
Embora tenha investido R$ 33 milhões na sua vitoriosa campanha de 2014, ele crê que a realidade é outra, atualmente. “Graças a Deus, nós temos teto. Temos que cumprir a lei. E eleição não precisa ter tantos gastos, como já existiu no passado. A sociedade brasileira está se adaptando a esta realidade”, observou o atual chefe do Poder Executivo.
 
Leia mais:
– Pedro Taques vistoria obras com Lucimar e diz que ajuda VG mesmo após "rompimento" com DEM

– Mauro Mendes nega “pressa” e diz que construção de chapa terá Sachetti e Pivetta; decisão em julho
 
Pedro Taques observou que, nesta terça-feira (26), ainda dependendo de confirmação, deve acontecer uma reunião da Executiva Nacional do PSDB para debater o tema. “Os valores para o PSDB de Mato Grosso [do Fundo Partidário] ainda estão indefinidos e temos até o dia 30 para disponibilizar ao TSE os valores para governadores, senadores, deputados e presidente. O PSDB vai reunir a Executiva no dia 26 para definir”, explicou o governador de Mato Grosso.
 
Sobre a exigência de não confundir a agenda do governador com aquela seguida pelo pré-candidato, além dos gastos de um e de outro, o atual chefe do Poder Executivo solicitou um estudo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e da Controladoria Geral do Estado (CGE). “A PGE e a CGE já têm estudos a respeito da lei. E a lei é para todos. Tem que ser cumprida! A sociedade brasileira está se adaptando a esta realidade”, ensinou Taques.
 
Expectativa do DEM
 
Pedro Taques ainda não perdeu a esperança de contar com o Democratas na coligação do o PSDB, neste ano. E citou a sua excelente relação com o ex-senador Jayme Campos (DEM), principal comandante da legenda.
 
“A minha relação com o senador Jayme Campos é excelente. Sempre foi boa! Tenho total respeito ao Jayme Campos. Ele é o senhor do seu destino e tem a liberdade de percorrer o caminho que entender”, justificou Taques.
 
Nesta segunda-feira (25), porém, Taques foi recebido apenas pela prefeita Lucimar Sacre de Campos (DEM) e seu vice José Aderson Hazama (PRTB), durante visita às obras de duplicação a Avenida Filinto Müller, uma das principais artérias de Várzea Grande. Jayme não compareceu.
 
Na semana passada, Campos e Taques ficaram lado a lado, por horas,  no auditório da Paróquia Nossa Senhora da Guia, em Várzea Grande. Eles participaram da cerimônia de entrega de escrituras para mutuários da extinta Companhia de Habitação, oriundos dos conjuntos habitacionais  Cohab Nossa Senhora da Guia, Asa Bela e Alberto Canellas, pelo Programa Endereço Certo, operacionalizado pela Desenvolve MT (antiga MT Fomento).
 
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet