Olhar Direto

Quinta-feira, 13 de maio de 2021

Notícias | Política MT

De olho na reeleição

Diretórios nacionais repassam R$ 3,3 milhões a Ezequiel e Bezerra para campanha

Foto: Assessoria

Diretórios nacionais repassam R$ 3,3 milhões a Ezequiel e Bezerra para campanha
Os diretórios nacionais do Partido Progressista (PP) e do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) repassaram, ao todo, R$ 3,3 milhões para dois dos seus candidatos a deputado federal nas eleições deste ano. Ezequiel Fonseca (PP) recebeu R$ 1,8 milhão, enquanto que Carlos Bezerra (MDB) garantiu R$ 1,5 milhão.

Leia mais:
Candidatos ao governo já gastaram quase R$ 2,8 milhões; WF contratou quase o triplo do que arrecadou
 
Na consulta feita na Justiça Federal, o candidato à reeleição Ezequiel Fonseca aparece com R$ 1.827.332,83 recebidos até o momento para a campanha. Deste total, R$ 1.823.379,83 vieram do diretório nacional do Partido Progressista.
 
Depois, aparece o também candidato à reeleição, Carlos Bezerra (MDB), com R$ 1.500.000,00, sendo que todo este montante foi repassado pelo Movimento Democrático Brasileiro. Bezerra é considerado o ‘cacique’ do partido, tendo grande representatividade no cenário nacional. Foi ele que convenceu a sigla migrar para a coligação de Mauro Mendes (DEM) no pleito deste ano, deixando de lado o senador Wellington Fagundes (PR).
 
Entre os deputados estaduais, o candidato Faissal (PV) investiu pesado na sua campanha deste ano. Ao todo, ele já recebeu R$ 103 mil, sendo que R$ 100 mil foram colocados do próprio bolso. Já o candidato à reeleição Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), arrecadou R$ 200 mil, sendo todo o montante do próprio bolso.
 
Os cinco candidatos ao governo do Estado já gastaram, juntos, R$ 2.798.865,70 na campanha deste ano. A cifra é superior ao arrecado pelos postulantes ao comando do Executivo, que somados receberam quase R$ 2,5 milhões. Wellington Fagundes (PR) foi quem mais gastou, conforme a Justiça Eleitoral. Ao todo, foram R$ 1.448.460,85 de despesas contratadas.
 
O limite individual de gasto dos candidatos a deputado federal é de R$ 2,5 milhões, enquanto que para estadual é de R$ 1 milhão. As campanhas eleitorais estão sendo financiadas, em sua esmagadora maioria, por recursos públicos oriundos do Fundo Eleitoral ou do Fundo Partidário. Nesta semana o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que 22 partidos políticos já receberam os recursos do fundo Especial de Financiamento de Campanha, conhecido popularmente como Fundo Eleitoral.
 
Na última quarta-feira (22), o TRE de Mato Grosso alertou para a obrigatoriedade da declaração. Por força de lei, assim que receber qualquer doação em dinheiro, todos os candidatos têm 72 horas para enviar o relatório à Justiça Eleitoral, por meio eletrônico. Caso sejam constatados indícios de pagamento de campanha eleitoral sem a devida informação oficial, os dados serão enviados à Procuradoria Regional Eleitoral.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet