Olhar Direto

Sexta-feira, 23 de julho de 2021

Notícias | Cidades

MTTV

Nogueira não apresenta projeto e promete não gastar mais nenhum centavo com VLT

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Nogueira não apresenta projeto e promete não gastar mais nenhum centavo com VLT
O candidato ao Governo do Estado pela REDE, Arthur Nogueira, afirmou em entrevista à TVCA, afiliada da TV Globo, na manhã desta terça-feira (11), que não tem como prioridade gastar mais nenhum centavo com a continuidade das obras do VLT. Segundo ele, caso eleito, se preocupará em descobrir para onde foram os recursos já gastos.

Leia também:
​Taques culpa processamento bancário por atraso no pagamento de parte dos servidores

Eu sou o único candidato que disse que não é uma prioridade gastar mais nenhum centavo em relação ao VLT, que já consumiu um bilhão de reais. E mais um bilhão seriam necessários. O que é um bilhão, pra gente entender? [Com] Um bilhão de reais você constrói outro modal ferroviário como o lá de Rondonópolis”, afirmou o candidato.

Nogueira afirmou que, caso eleito, pretende contar com o apoio do judiciário. “O judiciário precisa nos dar essa oportunidade de resgatar esses recursos. Foi pra onde? Quem são os responsáveis? A sociedade precisa ter essa transparência. Quais as empresas contratadas, quem são os responsáveis, pra onde foi esse recurso, e quem deverá devolver esses recursos?”.

Apesar dos questionamentos, o candidato revelou que não tem nenhum projeto concreto caso esses recursos não voltem para os caixas públicos. Nogueira disse que quer “acabar com o sofrimento do cidadão que mora em Várzea Grande e acompanha todos os dais aquela cicatriz ali na Avenida da FEB”, e que só continuaria a construção do modal caso haja “um projeto que demonstre que haverá mobilidade urbana”.

Por fim, questionado se ele pararia até mesmo de pagar o financiamento do VLT, ele disse que precisa “saber como está esse processo na justiça”, e que não teve acesso a essa informação para produzir seu projeto de governo.

Impasse com o VLT

As obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) tiveram início em 2012, com previsão de conclusão em março de 2014, três meses antes da Copa do Pantanal Fifa 2014, tendo Cuiabá como uma das sedes – quatro jogos foram realizados na Arena Pantanal José Fragelli. Alegando não ter recebido por parcela considerável do que já havia realizado, o Consórcio VLT paralisou as obras em dezembro de 2014.

Após a posse, o governador Pedro Taques determinou auditoria nas obras e no contrato do Consórcio VLT. Constatou-se superfaturamento e falhas pontuais, como a aquisição antecipada das locomotivas e vagões do VLT supostamente por causa de um período de baixa do dólar.

Em fins de 2015, por determinação do juiz Ciro Arapiraca, da Seção Judiciária de Mato Grosso, houve a retomada das conversações do governo com o Consórcio VLT, para que as obras pudessem ser concluídas. Após a delação premiada de Silval Barbosa, revelando que houve corrupção, o contrato foi rompido. No início, o valor do projeto foi fixado em R$ 1,447 bilhão.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet