Olhar Direto

Quarta-feira, 02 de dezembro de 2020

Notícias / Política MT

Ex-BBB relata dificuldade em campanha e pretende transformar 'likes' em votos

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

26 Set 2018 - 08:11

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Ex-BBB relata dificuldade em campanha e pretende transformar 'likes' em votos
Candidato a deputado federal pelo PSC, o cirurgião plástico Marcos Harter, que ficou conhecido no país todo por suas participações nos reallity shows Big Brother Brasil, da TV Globo e A Fazenda, da TV Record no ano de 2017 declarou que apesar de sua fama, não está tendo vida fácil para levar suas propostas e se apresentar como uma opção para Câmara Federal em sua campanha.

Leia também
Candidato a deputado, ex-BBB relata susto em acidente e diz que campanha continua


Filiado ao PSC desde abril deste ano, o ex-BBB, que é morador de Sorriso disse em entrevista ao Olhar Direto que o projeto de se candidatar a deputado partiu de si próprio e que se sentiu a vontade no partido presidido em Mato Grosso pelo amigo Xuxu Dal Molin, que já foi vereador e vice-prefeito de Sorriso.

Com mais de 1,7 milhão de seguidores em suas redes sociais, Harter que recebeu R$ 50 mil de seu partido e R$ 8,3 mil de docações para campanha tem explorado a Internet como sua maior arma e espera que os ‘likes’ se transformem em votos nas urnas no dia 7 de outubro.


Confira alguns assuntos discutidos com o candidato:


Escolha do PSC

O Xuxu Dal Molion me deu um rumo. Quando me deu vontade de entrar na política procurei pessoas que conhecia tanto em São Paulo quanto em Mato Grosso, e dentre essas pessoas o Xuxu Dal Molin foi com quem mais me identifiquei. Ele se mostrou mais solicito e acabei entrando no PSC. Mas não fui convidado. O estimulo partiu de mim.

Campanha

Estamos priorizando a campanha virtual. Eu estou tendo que descobrir tudo sozinho. Isso também foi muito ruim na medicina, entrar em uma área sem não ter nenhum médico na família. Na política também estou descobrindo tudo sozinho e é muito difícil. Esses dias estava pensando e vejo que tem coisas que só vou descobrir daqui alguns anos. O TRE determina só 45 dias e se você é novo na política, como eu que me filiei em abril, é difícil. Uma campanha em 45 dias não se consegue no corpo a corpo alcançar a divulgação. A forma que nós encontramos foi a rede social.

Reverter ‘likes’ para votos

Desde o começo da campanha eu imaginei que o meu publico seria polarizado, como sempre foi, desde os dois reallitys que eu participei. O resquício de tudo isso aqui fora é que o público ficou bem polarizado. Tem uma galera que gosta de mim e outra que não gosta. Eu imaginei que não seria diferente na política. Então pensei que não tinha muito como convencer e investir na segunda parte da estratégia que é convencer ao voto, e sim divulgar minha candidatura, por que quem vai votar ou não em mim já está definido. Teoricamente fiz invertido fazendo minha campanha antes e me candidatei depois, mas não imaginava entrar na política quando estava nos reallitys. A minha meta é divulgar minha candidatura e não posso perder votos de quem votaria em mim, mas não vai votar por que não sabe que eu sou candidato. Isso ainda tem muito, inclusive lá em Sorriso. É só entrando nisso para ter a noção do quanto é difícil divulgar uma notícia para muita gente, até por que é sobre política e isso não chama muito atenção. O acidente que sofremos saiu em todos os jornais do que minha candidatura. Minha meta inicial da campanha era divulgar a candidatura e automaticamente as pessoas já se definiriam. Quem não gosta de mim não ia votar e os meus fãs só não votariam em mim se tivessem algum motivo maior para votar em outro, como um parente.

Propostas para saúde

Já existe um projeto pronto de trazer uma filial do hospital do Câncer de Barretos para Sinop. Todo deputado federal tem direito a uma verba anual que é um restante do orçamento anual da União. No ano passado,R$ 118 milhões foi destinado ao Mato Grosso dividido para os oito parlamentares. Cada um tinha em mãos em torno de R$ 14,7 milhões. E eu poderia destinar. O importante é que este dinheiro não fique em sua mão. Se passar o prazo e você não entregar nenhum projeto, o dinheiro volta para União e se outro deputado de outro estado apresentar algum projeto, o dinheiro que era para ser de Mato Grosso vai para outro estado. Essa é uma crítica que eu faço para a Constituição.

Um dos projetos meus é que obriguem os deputados a gastarem as verbas orçamentárias com os estados que o elegeram. Fiz uma crítica ao deputado Adilton Sachetti (PRB), que inclusive foi prefeito de Rondonópolis, por que basicamente aquele município o elegeu como deputado e não sei por que em 2017 e em 2018, ele mandou R$ 1 milhão para a Beneficência de São Paulo. Nada pessoal com ele, mas o que me estranha é que a população não faz nada. Não há uma indignação. Creio que seria muito importante uma lei que obrigasse o deputado a gastar o dinheiro aqui.

Se eu conseguir mandar todas esta verba para a filial do hospital de Barretos em Sinop, acho excelente. Além de beneficiar a população de Sinop, irá beneficiar toda a região, são 26 municípios do médio norte do Estado. O projeto inclui uma base fixa e uma base móvel, que irá entrar em fazendas. Será muito importante por que em Rondonópolis tem fila para mamografia com mais de 2 mil mulheres.
 
Opinião sobre aborto

Tem o posicionamento de meu partido que é contra e eu estou com eles. Acredito que temos que dar atenção, mas devemos também trabalhar um ponto antes de precisar pensar nesta possibilidade. Temos que conscientizar, com o uso de preservativo, cirurgia de vasectomia.  Em relação ao aborto, devemos usar somente em caso de exceção como anencefalia, em caso de estupro.

Opinião sobre descriminalização das drogas

Para caso medicinal vale sim. O THC tem comprovação científica na melhora de qualidade de vida no câncer terminal. Mas a liberação de drogas para uso recreativo sou totalmente contra e não adianta dizer que em Amisterdan é liberado. Lá é outro país, é outra cultura. Já viajei muito pelo mundo e as vezes penso que estamos em outro planeta. Em Hong Kong, que é a do outro lado do mundo você vê civilizações com pensamentos totalmente diferente e que as leis usadas lá não podem ser aplicadas em países como Brasil. Não dá para prever as coisas que aconteceriam aqui e não dá para comparar com países desenvolvidos, que tem uma população com outro nível socioeconômico e cultural.

Rótulo de machista nos reallity shows

Isso não é verdade. É por isso que gosto de quando uma pessoa é contra minhas idéias e vem conversar comigo. Até hoje não teve um ‘hater’ que veio falar comigo, que não saiu com o conceito mudado sobre minha pessoa. A regra que eu atribuo a eles é que são todos covardes e só conseguem me atacar pela Internet e só aparecem por uma tela de computador. Isso não chega até mim. 99% do meu público na cirurgia plástica é feminino. Lido só com mulheres desde que formei 2010.

Expulsão do BBB

Aconteceu por que fui contra os preceitos podres da terceira maior emissora do mundo. A Rede Globo humilha os participantes.   
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet