Olhar Direto

Sexta-feira, 06 de dezembro de 2019

Notícias / Política MT

Selma chama ‘fake news’ de canalhice e diz que foi vítima de ação maliciosa em denúncia de Caixa 2

Da Redação - Isabela Mercuri

15 Out 2018 - 11:45

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Selma chama ‘fake news’ de canalhice e diz que foi vítima de ação maliciosa em denúncia de Caixa 2
Durante a comemoração por sua vitória para o Senado, a juíza aposentada Selma Arruda (PSL) voltou a negar o conteúdo da denúncia de caixa 2. Com discurso duro, a senadora eleita afirmou que Sebastião Carlos é um ‘laranja’, que os jornalistas agiram de forma maliciosa, e que as 'fake news' foram "canalhice de quem sabe que vai perder". 

Leia também:
MP vê suposto 'Caixa 2 ', pede cassação de registro de candidatura de Selma Arrruda e quebra de sigilo bancário

“Não tenho denúncia de caixa 2. Esse Sebastião Carlos foi um laranja que fez isso pra me escandalizar na última semana da campanha. Não existe Caixa 2 antes da campanha. Aqueles gastos ali, embora a imprensa maliciosamente tenha computado como Caixa 2, e ele tenha feito aquilo com essa referência, aquilo ali nunca vai poder ser considerado Caixa 2. Primeiro porque foi antes da campanha, segundo porque foi com cheque nominal. Ninguém faz caixa 2 dessa forma, caixa 2 não é isso”, declarou.

Selma foi denunciada pelo Ministério Público Eleitoral no último dia 3 de outubro. O MP enviou parecer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) pedindo a cassação do  registro da candidatura de Selma,  além da quebra do sigilo bancário e, em caso de vitória, que fosse barrada a diplomação e aplicada sanção de inelegibilidade pelo prazo de oito anos por crime de abuso de poder econômico. 

O MPE decidiu fazer os pedidos, na data de 29 de setembro,  após solicitar a inclusão na ação de investigação judicial eleitoral movida pelo advogado e também candidato a senador Sebastião Carlos Gomes de Carvalho (Rede). Selma, no entanto, afirmou ser vítima de armação.

As solicitações foram assinadas pela procuradora Cristina Nascimento de Mello,  que defendeu, ainda, ao pedir que a punição por abuso de poder econômico seja extensiva  ao primeiro suplente, o produtor rural Gilberto Possamai, e a segunda suplente, a ex-assessora Clerie Fabiana Mendes.

Sebastião Carlos pediu que fosse investigada a suspeita de gastos ilícitos e abuso de poder econômico da ex-magistrada após o publicitário Júnior Brasa mover uma ação monitória cobrando cerca de R$ 1,2 milhão da pré-campanha e até mesmo na campanha com marketing.

A então candidata ao Senado em Mato Grosso vinha realizando pagamentos desde abril deste ano, que totalizavam R$ 700 mil, utilizando cheques de sua conta pessoal, conduta que é vedada pela Justiça Eleitoral. 

Com base na ação monitória proposta por Júnior Brasa, uma denúncia foi oferecida ao Ministério Público Eleitoral, com cópias dos cheques pessoais utilizados por Selma, além do contrato firmado entre ela e a Genius e e-mails trocados com o publicitário, que comprovam a relação entre a juíza aposentada e a agência fora do período que é permitido pela legislação eleitoral.

Após a divulgação do pedido, a candidata Selma Arruda concedeu uma coletiva na segunda-feira, 1 de outubro, onde afirmou que iria colocar o sigilo bancário de sua campanha à disposição. Ela sustentou que na verdade estava sendo vítima de extorsão, disparou acusações contra adversários  e negou qualquer prática ilícita. 

Selma foi a candidata ao Senado mais votada e foi eleita junto a Jayme Campos (DEM). Ela afirmou, ainda, que sua campanha foi rondada por 'fake news', o que analisou como 'canalhice de quem sabe que vai perder'. "É uma canalhice, é um crime, infelizmente, e nós temos que tomar providências mais enérgicas lá no Senado com relação a esse tipo de coisa. Porque a vítima de fake news não foi a Selma. A vítima de fake news foi o povo que acreditou nelas", finalizou. 

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • MAURO VG
    16 Out 2018 às 10:49

    Engraçado essa senhora vir falar de fake news, o candidato à presidente apoiado por ela é o maior divulgador de fake news da história desse país e a justiça eleitoral está dormindo em berço esplêndido! uma vergonha tanto ela quanto o candidato fake não nos representam! podem representar eleitores de facebook analfabetos políticos, mas não os esclarecidos e politizados!

  • Justo
    16 Out 2018 às 08:53

    Vem me dizer que essa senhora ganhou essa eleição com votação sem dinheiro so porque prendeu Silval e Riva, vai enganar otarios.

  • raimundo nonato
    16 Out 2018 às 06:48

    Essa aí está se achando sempre a cereja do bolo, só sabia bater e agora doutora está do outro lado.

  • Jossué Carvalho
    15 Out 2018 às 15:05

    A "Senadora do Bolsonaro" já pegou até o discurso dele. Tudo é fake news agora!!!!!!!!!!! Vamos começar por: a senhora é senadora de MT, do povo de MT. Não do candidato. Segundo, o caso está em investigação, se confirmado, aí quero ver a fake news..........

  • Carlos Nunes
    15 Out 2018 às 14:48

    Ih! A Juíza SELMA, desde que manifestou que poderia ser candidata ao Senado, sofreu uma armação covarde pra desmoraliza-la. Todo dia plantavam alguma coisa contra ela...diziam: Selma fez isso ou disse isso, sempre desprestigiando sua imagem. Caixa 2 é quando o cara recebe uma mala de dinheiro e não passa recibo...muito menos dá cheques. Essa estória do publicitário e a Juíza foi mal contada. Um publicitário que se preze, competente, faz tudo dentro da Lei Eleitoral. Publicitário que faz alguma coisa fora da Lei Eleitoral, ou é de péssima categoria, ou faz de propósito. Qualquer pessoa pode consultar um publicitário...e confiar nas suas orientações? Eles ganham mais dinheiro na época da política, pois tem inúmeros clientes que são candidatos a alguma coisa. Todas as referências sobre o publicitário, indicam que ele é de categoria, e deve ter feito tudo dentro da Lei Eleitoral. Não houve nenhuma campanha antecipada, muito menos Caixa 2. É mais uma armação covarde, de perseguição contra a Juíza, que foi eleito senadora, a mais votada, com mais de 600 Mil votos. Mato Grosso conseguiu emplacar 3 Mulheres na Política: a Juíza SELMA, senadora, a professora Rosa Neide, deputada federal, e a Janaína, deputada estadual. A Gisela Simona, quase foi eleita deputada federal também.

  • Léo
    15 Out 2018 às 13:54

    Quem falando?? Poderia defender isso a nível nacional??

  • Areal
    15 Out 2018 às 13:51

    Temos um cheque assinado pela senhora o que configura caixa 2. A justiça se não for seletiva como costuma ser , vai cassar essa sua candidatura....A senhora não passa de um lobo na pele do cordeiro ..uma ex juiza subir num palanque e fazer apologia a uso de arma de fogo, tá de brincadeira ....não foi com meu voto que se elegeu , estou de amores com minha consciência.

  • Cidadão
    15 Out 2018 às 13:45

    Ao invés de se defender, ataca a honra das pessoas. Tenho vergonha de vc Selma.

  • Robson Souza
    15 Out 2018 às 12:31

    ´´E claro e evidente a irregularidade de abuso de Poder econômico. Esta usando a estratégia de dizer que é caixa 2 para confundir a opinião pública. Tem que ser cassado o registro de candidatura ou não se tem mais justiça nesse Estado.

  • waldomiro lopes
    15 Out 2018 às 12:08

    Em sendo provada a inocência da Juiza Dra. Selma, que seja movida ação contra os autores da denuncia.

Sitevip Internet