Olhar Direto

Terça-feira, 20 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Bem votados e sem mandato: veja quem foi “injustiçado” pelo quociente eleitoral

Da Redação - Lucas Bólico

12 Out 2018 - 10:08

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Com mais votos que Juares Costa, Galli ficou de fora da Câmara

Com mais votos que Juares Costa, Galli ficou de fora da Câmara

Ser um dos candidatos mais bem votados não garante, necessariamente, um mandato de deputado estadual ou federal. A escolha de quem será eleito também tem de passar pelo método de distribuição de cadeiras no parlamento calculado pelo quociente eleitoral.

Leia também:
Veja todos os eleitos aos cargos de deputado estadual e federal por Mato Grosso

O sistema foi pensado para buscar equilíbrio e privilegiar tanto a força da representatividade do candidato como a do partido e coligação partidária. Em síntese, o preenchimento das vagas é feito segundo o cálculo do quociente eleitoral e quociente partidário e distribuição das sobras.
 
Na prática, na eleição proporcional no Brasil, é o partido ou a coligação que recebe as vagas, e não o candidato. Nesse tipo de pleito, o eleitor, ao votar, escolhe ser representado por determinado partido e, preferencialmente, pelo candidato por ele escolhido.
 
O voto do eleitor na eleição proporcional brasileira indicará quantas vagas determinado partido/coligação vai ter direito. Por isso, mesmo que um candidato tenha votação expressiva, se o partido/coligação não ganhar vaga, o candidato pode não ser eleito.
 
É basicamente essa a explicação para o fato de, por exemplo, João Batista do Sindspen ter sido eleito com 11.374 votos e Romoaldo Junior, com 18.467 votos, não ter conseguido uma cadeira na Assembleia Legislativa. A coligação de Romoaldo conseguiu nove vagas e ele foi o décimo mais votado no bloco partidário, que congrega MDB, DEM, PDT, PSC, MDB, PHS, PSD e PMB.  
 
Na disputa por uma cadeira na Câmara Federal, somente dois candidatos acabaram “injustiçados” pela divisão por quociente. Juares Costa foi eleito com 49.912 votos e Victório Galli e Gisela Simona tiveram mais votos, respectivamente 52.974 e 50.682, mas não entraram na vaga.
 
Na disputa pela Assembleia Legislativa foram 20 candidatos mais bem votados que João Batista do Sindspen. Confira a lista abaixo, com o nome dos candidatos e o número de votos recebidos:

Romoaldo Junior – 18.467

Henrique Lopes do Sintep – 18.300

Silvano Amaral 18.068

Eduardo Magalhães – 17.773

Toninho de Souza – 17.133

Hermes Bergamim – 16.923

Leandro Félix – 16.604

Juca do Guaraná Filho – 15.924

Carlos Avalone – 14.263

Pedro Satélite – 13.860

Dr Divino Henrique – 13.759

Saturnino Masson – 13.434

Dr Sergio Delegado 13.207

Zeca Viana – 12.603

Suelme Fernandes – 12.074

Oscar Bezerra – 11.827

Mauro Savi – 11,683

Gilberto Cattani 11.629

Lilo Pinheiro – 11.516

Layr Mota – 11.369
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet