Olhar Jurídico

Domingo, 23 de janeiro de 2022

Notícias | Política de Classe

Processo disciplinar

Após cassação, Corregedoria do MP-GO processará Demóstenes

Foto: Rodrigo Vianna

Após cassação, Corregedoria do MP-GO processará Demóstenes
O senador cassado Demóstenes Torres (sem partido) ainda sofrerá procedimento disciplinar no Ministério Público de Goiás caso retorne ao cargo de procurador, que exercia até 1999, quando se licenciou para a carreira política. Demóstenes perdeu o mandato e a elegibilidade por 15 anos em sessão na tarde desta quarta-feira (11) por 56 votos a 19 (sendo 5 abstenções).

De acordo com nota da Corregedoria-Geral do Ministério Público, assim que for publicada a decisão por cassação no Diário do Senado, será instaurado um procedimento disciplinar para apurar eventual falta funcional por parte de Demóstenes. Seu irmão Benedito Torres, que também atua como procurador, igualmente será investigado.

A cassação do parlamentar, entretanto, já foi devidamente publicada na edição desta quinta-feira. Até então, não havia sido instaurado processo disciplinar contra Demóstenes porque não figurou claramente para a Corregedoria qualquer indício de efetiva falta funcional. Demóstenes é acusado de ter quebrado o decoro parlamentar representando, dentro do Congresso Nacional, os interesses da organização contraventora supostamente sob comando do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Conforme noticiou a Agência Brasil, a licença de Demóstenes do Ministério Público vale até a publicação da decisão do Senado. Ele pode voltar a receber salário de R$ 22 mil caso retorne ao cargo de procurador, fora os benefícios. Além disso, ele retoma o foro privilegiado. (Com informações da Agência Brasil)
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet