Olhar Jurídico

Segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Homem que matou esposa degolada enquanto dormia por traição é condenado a 30 anos de prisão

Da Redação - Wesley Santiago

24 Out 2019 - 08:21

Foto: Reprodução/Ilustração

Homem que matou esposa degolada enquanto dormia por traição é condenado a 30 anos de prisão
Maurício Lopes Feitosa, 30 anos, autor de um feminicídio cometido com requinte de crueldade, ocorrido no município de Nova Canaã do Norte (699 km de Cuiabá), foi condenado pela Justiça a 30 anos de prisão. A ocorrência foi registrada no dia 25 de setembro de 2016, na residência do casal situada no distrito Colorado.

Leia mais:
Marido degola companheira e alega à polícia que a matou após ela gritar com ele
 
Motivado por ciúmes e usando uma faca, Maurício matou sua companheira Genilza Alves de Oliveira, 27. Conforme apuração da Polícia Civil, o crime foi tipificado como homicídio qualificado por meio cruel (a vítima foi degolada com faca), por traição (enquanto a vítima dormia), feminicídio (contra a esposa), e majorado em razão de ter sido praticado na presença do filho menor de idade.
 
Com a conclusão do inquérito policial, o processo criminal transitado em julgado condenou, em dezembro de 2018, Maurício Lopes Feitosa à pena de mais de 30 anos de reclusão.
 
De acordo com o delegado de Nova Canaã do Norte, Ruy Guilherme Peral da Silva, na época dos fatos o suspeito foi preso em flagrante pela Polícia Militar e as investigações concluídas em oito dias. Na ocasião também foi representado pelo pedido de prisão preventiva do autor do crime, que continua privado de liberdade até hoje.
 
“Por se tratar de caso de grande repercussão na cidade, pelos requintes de crueldade, merece ser relembrado neste mês de outubro, fazendo analogia à atenção dispensada às mulheres no âmbito da Campanha Outubro Rosa. As ações das forças policiais e especialmente da Polícia Civil são efetivas na proteção das mulheres e repressão a crimes praticados contra elas”, destacou Ruy Guilherme Peral da Silva.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Luciana
    24 Out 2019 às 11:53

    Li o conteúdo da notícia é estou sem entender o título que diz sobre traição... penso que são esses tipos de escrita que ajuda a reafirmar que existe justificativa pra matar! Sugiro que retire essa "insinuação" do título em respeito a todas mulheres em especial a Genilza que foi morta de forma cruel e covarde!

  • Chico Bento
    24 Out 2019 às 10:50

    O STF vai liberar ele, quem duvida?

  • Crítico
    24 Out 2019 às 10:22

    Infelizmente a TRAICAO tem um fim triste

Sitevip Internet