Olhar Jurídico

Segunda-feira, 06 de abril de 2020

Notícias / Criminal

Pedro Taques é ouvido no Ministério Público sobre ‘Grampolândia Pantaneira’

Da Redação - Vinicius Mendes

27 Fev 2020 - 13:51

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Pedro Taques é ouvido no Ministério Público sobre ‘Grampolândia Pantaneira’
O ex-governador Pedro Taques (PSDB) foi ouvido nesta quinta-feira (27) pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), sobre o caso da “Grampolândia Pantaneira”. Desde que foi acusado, em 2017, o ex-governador e ex-procurador, vem pedindo para ser ouvido. Não foi divulgado o teor do depoimento de Taques.
 
Leia mais:
Taques pede para ser ouvido no processo dos grampos: não têm provas contra mim, não fiz nada de errado
 
De acordo com informações da assessoria do MPMT, Pedro Taques foi ouvido na manhã desta quinta-feira (27) pelo promotor de Justiça Reinaldo Rodrigues de Oliveira. O MP confirmou que o assunto tratado foi a “Grampolândia Pantaneira”.
 
No ano passado, na época dos depoimentos na Justiça dos coronéis Zaqueu Barbosa e Evandro Lesco e do cabo Gerson Correia, o ex-governador havia se manifestado sobre as acusações feitas contra ele, pedindo para que fosse ouvido.
 
“Confio na verdade e na justiça, aliás, já pedi para ser ouvido no Ministério Público e na Polícia. Ninguém está acima da lei, quando tomei conhecimento dos fatos investigados, pedi providência, imediatamente. Apenas quero ser ouvido, estou sendo acusado desde maio de 2017. Quero só me defender, nunca fiz nada de errado”, disse Taques à época.
 
O Ministério Público, no entanto, não divulgou mais informações sobre o que foi relatado por Taques ao promotor na manhã de hoje.
 
O caso
 
A operação responsável por revelar o esquema de interceptações ilegais na PM chama-se "Esdras" e foi desencadeada em 27 de setembro de 2017, com base no depoimento prestado pelo tenente coronel da Policia Militar José Henrique Costa Soares, revelou um verdadeiro esquema criminoso para frear as investigações sobre interceptações ilegais e afastar o desembargador.

Conforme os autos, em depoimentos prestados por Soares, “descortinou-se um sórdido e inescrupuloso plano” no intuito de interferir nas investigações policiais e macular a reputação do desembargador Orlando Perri em todos os inquéritos instaurados.
 
Segundo o processo, Costa Soares foi convocado para atuar como escrivão no inquérito do caso grampos. Logo da convocação, a suposta organização criminosa teria buscado sua cooptação.

Seria tarefa do tenente coronel a juntada de informações sobre Perri para provocar a suspeição do magistrado.

Reportagem do programa "Fantástico", da Rede Globo, revelou na noite de 14 de maio que a Polícia Militar em Mato Grosso “grampeou” de maneira irregular uma lista de pessoas que não eram investigadas por crime.

Segundo a denúncia do MPE, foi Gerson quem fez à Justiça os pedidos de autorização para interceptação de números de telefones de políticos, advogados e jornalistas, grampeados no esquema, alguns deles adversários de Pedro Taques.  A prática de gravação telefônica clandestina, de pessoas que não são acusadas de crime, é conhecida como “barriga de aluguel”. Acusado de ser o operador do esquema, o cabo Gerson, também ficou encarcerado por nove meses.
 
No ano passado, Zaqueu, Lesco e Gerson relataram à 11ª Vara Criminal Especializada da Justiça Militar que os líderes de todo o esquema de interceptações telefônicas ilegais seriam Pedro Taques e seu primo Paulo Taques.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • CRISTINA ALMEIDA
    28 Fev 2020 às 08:37

    A justiça, no cumprimento do dever, condenou os criminosos, porém ainda não conseguiram apresentar uma prova sequer contra o ex governador. Só falaram e não provaram. Vamos esperar as provas do sr. Pedro.

  • Luciana
    28 Fev 2020 às 08:36

    Do Cabo Gerson,réu confesso, que operou o sistema de escutas clandestinas e criminosas ao Coronel Zaqueu,condenado, comandante da PM na época, e outros militares envolvidos foram unânimes em afirmar que Pedro Taques foi o mandante do esquema e agora que todos já foram condenados o MP ainda está ouvindo Taques,porque este insistiu muito né...

  • Jorge V.
    27 Fev 2020 às 14:22

    Ainda quer ser candidato ao senado esse sujeito,delatado por vários criminosos já condenados pela justiça!

Sitevip Internet