Olhar Jurídico

Quinta-feira, 09 de julho de 2020

Notícias / Tributário

Dívida de autarquias da administração cresce 7 vezes

De Brasília - Marcos Coutinho/ Da Reportagem - Laura Petraglia

30 Ago 2012 - 11:15

Foto: Reprodução

Dívida de autarquias da administração cresce 7 vezes
Apesar de o governo de Mato Grosso ter praticamente zerado sua divida com precatórios (débitos decorrentes de sentenças judiciais) as autarquias e a administração indireta registraram um aumento significativo do volume devido entre os exercícios de 2011 e 2012.

Relatório da Corregedoria Nacional de Justiça (CNJ) aponta que a divida das autarquias e da administração indireta saltaram de um patamar de R$ 905 mil para mais de RS 6,6 milhões, ou seja, aumentou mais de sete vezes.

No total, Mato Grosso teve o menor percentual de comprometimento do Produto interno Bruto (PIB) como pagamento de precatórios, apenas 0,5%. O maior comprometimento foi registrado em Rondônia com 7,5% do PIB sendo comprometido.
De acordo com Corregedoria Nacional de Justiça, Mato Grosso um dos estados em que a estruturação do setor de precatórios foi concluída, assim como Alagoas, Amazonas, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Tocantins.

Na Bahia e em São Paulo o programa de estruturação já foi iniciado. Ainda de acordo com Corregedoria os estados e municípios brasileiros acumularam divida de R$ 94,3 bilhões até o primeiro semestre de 2012. Deste total, R$ 87,5 bilhões são referentes a precatórios da justiça estadual e R$ 6,7 bilhões de dívidas trabalhistas.

"À medida que nos organizamos e fizemos uma lista verdadeira, descobrimosque muitas dívidas não estavam incluídas na ordem cronológica que era publicada. Então, isso levou a um crescimento da dívida em alguns estados", disse Eliana Calmon, corregedora nacional de Justiça. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet