Olhar Jurídico

Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Notícias / Trabalhista

Acordo gera pagamento de quase R$ 1 milhão a trabalhador que não recebeu extras

Da Redação - José Lucas Salvani

16 Set 2019 - 16:10

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Acordo gera pagamento de quase R$ 1 milhão a trabalhador que não recebeu extras
Uma transportadora firmou um acordo para pagar R$ 915,8 mil a um ex-empregado que não teve suas horas-extras quitadas. O pacto foi feito nesta segunda-feira (16), na primeira audiência da Semana Nacional da Execução Trabalhista, realizada no Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Disputas (Cejusc). O nome da empresa e do trabalhador não foram divulgados.

Leia mais:
Azul é condenada a pagar R$ 150 mil por adiar embarque e causar morte de cliente

Conforme assessoria, o ex-empregado trabalhou na empresa entre dezembro de 2008 e fevereiro de 2014, quando encerrou suas atividades. Na ação, ele solicitava que fosse pago as horas-extras, além de outras verbas trabalhistas. O acordo de R$ 915,8 mil será quitado em seis parcelas iguais.

Advogado da empresa, Lucas Moretti conta que trabalhaou por quase um mês realizando negociações prévias. “A Semana de Execução é importante porque as partes já chegam aqui com o objetivo de chegar a um consenso. É bom para a Justiça, para os trabalhadores e para a empresa”, comemorou.

Semana Nacional da Execução Trabalhista

O acordo aconteceu no contexto da Semana Nacional da Execução Trabalhista, promovido pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) em parceria com os 24 tribunais regionais do trabalho (TRTs). Este ano o evento, realizado entre 16 e 21 de setembro, tem o slogan “Todos pela efetividade da Justiça”.

Durante cinco dias todos os esforço da Justiça do Trabalho estarão voltados para solucionar os processos em que os devedores não pagaram os valores reconhecidos na condenação. Para isso, as ações incluem desde a realização de pesquisa em sistemas informatizados para bloqueio e penhora de bens e valores a até mesmo a realização de audiências para tentativa de conciliação.


Atualizada às 08h09.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • AVANÇA MT
    16 Set 2019 às 17:44

    NÃO CONSIGO ENTENDER UMA CONTA DESSA TRABALHO A 20 ANOS AINDA ASSIM ESTOU MUITO LONGE DE JUNTAR ESSE VALOR ACHO QUE NÃO VOU JUNTAR NÃO !

  • jose a silva
    16 Set 2019 às 17:38

    ISSO SIMPLESMENTE TEM UM NOME? EXTORSÃO LEGALIZADA E COM O APOIO DA LEI! SIMPLESMENTE VERGONHOSO! ESSE ADVOGADO BAMBURROU!

Sitevip Internet