Olhar Jurídico

Segunda-feira, 06 de abril de 2020

Notícias / Civil

MPE investiga risco de desabamento do Edifício Nicolina, área que recebeu primeiro shopping de Cuiabá

Da Redação - Arthur Santos da Silva

28 Fev 2020 - 09:22

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

MPE investiga risco de desabamento do Edifício Nicolina, área que recebeu primeiro shopping de Cuiabá
Ministério Público de Mato Grosso (MPE) abriu investigação para apurar irregularidades estruturais no edifício Comercial Shopping Cuiabá, Residenciais Nicolina de Oliveira e João Alfredo de Oliveira, localizados na rua Barão de Melgaço, centro da capital. A área é conhecida pela população sob o simbolismo de ter abrigado o primeiro shopping de Cuiabá.  Segundo informado na portaria, há risco de desabamento.
 
Leia também 
Tribunal de Justiça aprova RGA de 4,48% aos servidores do Judiciário


A promotoria de Justiça tomou conhecimento, a partir de reclamação registrada via ouvidoria, de que o Edifício Nicolina de Oliveira estaria há anos padecendo com diversas irregularidades estruturais, em especial, no subsolo do prédio.
 
Segundo informações da Diretoria de Proteção e Defesa Civil, após solicitação ministerial, restou constatado que, de fato, o imóvel apresentaria inúmeras patologias na infraestrutura do subsolo que “demandariam intervenção premente com a execução de contenção das infiltrações e retificação de pilares, vigas e lajes”.
 
Segundo o MPE, a Defesa Civil instaurou o registro de ocorrência “que concluiu pela necessidade da contratação de engenheiro estrutural e profissionais habilitados para avaliação pericial e execução das obras no edifício em caráter imediato, tendo em vista o agravamento progressivo das patologias constatadas que podem levar a peças à ruína total e, consequentemente, ao desabamento do edifício”.
 
Ainda conforme o órgão ministerial, a síndica do prédio foi notificada a “dar publicidade aos condôminos sobre o real estado de conservação e risco de perigo aos usuários e condôminos mediante Assembleia Geral, bem como, a dispor de orçamentos elaborados por empresas contratadas para a execução das obras”.
 
“O objetivo do presente Inquérito Civil é investigar as irregularidades estruturais no Edifício do Comercial Shopping Cuiabá e Residenciais Nicolina de Oliveira e João Alfredo de Oliveira, de acordo com os ditames legais mencionados alhures, buscando medidas resolutivas a serem adotadas, de modo a salvaguardar primordialmente a segurança dos moradores, bem como, a coletividade no entorno que poderá ser afetada”, explicou o promotor de Justiça.
 
Portaria foi assinada pelo promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior no dia 27 de fevereiro.

Outro lado

Prefeitura

A Defesa Civil do Município, ligada à Secretaria de Ordem Pública, informa que realizou vistoria na estrutura predial do Edifício do Comercial Shopping Cuiabá e Residenciais Nicolina de Oliveira e João Alfredo de Oliveira, localizados no centro da Capital. 

Os responsáveis pela administração dos locais foram notificados pelo Ministério Público Estadual (MPE) para que apresentem,  em  dez dias úteis, as providências adotadas para a contenção das patologias já identificadas pela Defesa Civil.  

A engenheira civil sanitarista e especialista em regulação e fiscalização da Defesa Civil, Luzinete Nércia Vieira da Silva, - responsável pela vistoria nos empreendimentos – esclareceu que as unidades não apresentam risco iminente de desabamento. “Quero alertar que o que podemos avaliar é que pode existir o agravamento progressivo de patogenias encontradas, como lajes expostas, pilares rachados,  fissuras, mofo e infiltrações”.


Condomínio 

NOTA DE ESCLARECIMENTO À IMPRENSA

O Condomínio do Edifício João Alfredo e Nicolina de Oliveira, vem, diante das notícias publicadas nos meios de comunicação na presente data (28/02/2020), apresentar os devidos esclarecimentos:

1. As notícias veiculadas em diversos meios de comunicação não refletem a realidade dos fatos. Ao contrário do que foi veiculado, a síndica do condomínio NÃO HAVIA SIDO NOTIFICADA pelo Ministério Público Estadual a respeito de qualquer tipo de procedimento instaurado em âmbito judicial ou extrajudicial até o momento da publicação da notícia nos órgãos de imprensa; A notificação se consumou apenas às 14:25h da data de hoje.

2. A Defesa Civil, a partir de denúncia de um morador, realizou vistoria nas estruturas do edifício no dia 18/11/2019 e forneceu o laudo técnico apenas ao morador denunciante, o que causou certa estranheza, pois o laudo técnico foi assinado em 09/12/2019, mas o Condomínio do Edifício João Alfredo e Nicolina de Oliveira foi formalmente cientificado da recomendação expedida pela Defesa Civil apenas no dia 07/02/2020;

3. Antes mesmo da vistoria conduzida pela Defesa Civil, o Condomínio do Edifício João Alfredo e Nicolina de Oliveira já havia diligenciado no sentido de providenciar a contratação de empresas especializadas para a realização de obras na estrutura do edifício, dentre elas a recuperação das colunas e vigas da garagem, por meio de convocação em 08/11/2019 para Assembleia Geral Extraordinária que se realizou no dia 19/11/2019;

4. O Condomínio do Edifício João Alfredo e Nicolina de Oliveira esclarece, por fim, que no dia 06/01/2020 (apenas duas semanas após a Assembleia) realizou a contratação de empresa especializada de engenharia, a qual já deu início às obras de manutenção na estrutura do edifício. Acrescenta-se, conforme consta das informações prestadas pelo profissional contratado, não há, por ora, qualquer risco de desabamento do prédio e que as falhas deverão ser corrigidas sem maiores problemas.

Diante dos oportunos esclarecimentos acima, o Condomínio do Edifício João Alfredo e Nicolina de Oliveira se coloca à disposição do órgão de Proteção e Defesa Civil do Estado de Mato Grosso, bem como do Ministério Público Estadual para apresentar toda a documentação referente às vistorias e laudos realizados, publicidade aos condôminos sobre o estado de conservação do edifício e contratação de empresa especializada para a correção das patologias identificadas.

Atenciosamente,

Condomínio do Edifício João Alfredo e Nicolina de Oliveira

 

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • curimbatá EMOCIONADO
    29 Fev 2020 às 21:54

    DEU MEU PRIMEIRO BEIJO DE ISQUIMÓ LÁ. TAVA FRIO PRA BURRO NAQUELE DIA. E AINDA PEGUEI UM CORUJÃO TARDE DA NOITE.

  • Feliciano
    28 Fev 2020 às 17:16

    É preciso que haja transparência nas ações realizadas quando envolvem vidas de inocentes que só saberiam dos agravantes quando forem convocados a evacuarem os seus lares ou o seu comércio no local que pode ruir a qualquer tempo. A transparência e a responsabilidade das ações irão salvar vidas e evitar transtornos e catástrofes.

  • Jc
    28 Fev 2020 às 17:06

    O MP deveria verificar aquela construção do Fórum Cível e Criminal da Capital. Ali tá cheio de goteiras ,infiltraçoes . Chove mais lá dentro do que fora.

  • ZÉ NINGUÉM
    28 Fev 2020 às 15:14

    ANA JULIA, PERGUNTA DE CURIOSO. QUAIS AS PROVIDÊNCIAS TOMADAS, QUAIS SAO OS PROBLEMAS VQUE NÃO SAO DE HOJE, O QUE FOI EXPLICADO PELO ENGENHEIRO QUE SERA FEITO E QUAL SERIA O PROBLEMA QUE DEPENDE DE MUITO DINHEIRO? RESPONDA E ACABE COM OS BOATOS.

  • ZE NINGUÉM
    28 Fev 2020 às 13:38

    MARIA, PERGUNTA DE CURIOSO. QUANTO CUSTA O CONDOMÍNIO EXORBITANTE?

  • curimbatá
    28 Fev 2020 às 13:28

    COMPREI MUITO KICHUTE NESSE SHOPPING, NA ÉPOCA DO FERRACINI

  • Ana Julia Matos
    28 Fev 2020 às 13:08

    As providências estão sendo tomadas e os problemas (que não são de hoje) serão resolvidos. O engenheiro contratado explicou tudo o que vai ser feito porém nada se resolve da noite para o dia. Um problema que depende de muito dinheiro para ser resolvido, infelizmente é considerável a questão de inadimplência nos edifícios... As obras estão sendo feitas por etapas. E a primeira já está terminando. Que não sejam divulgados boatos inverídicos... Vai dar tudo certo.

  • Maria
    28 Fev 2020 às 11:16

    o subsolo do ed. nicolina é um descaso há anos, uma tragédia a ser anunciada e os moradores pagam um condomínio exorbitante para as condições que o prédio apresenta e tem a oferecer.

  • josé de souza
    28 Fev 2020 às 10:02

    PARABÉNS AO TRABLHO DO MINISTÉRIO PÚBLICO,

Sitevip Internet