Olhar Jurídico

Sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Notícias | Eleitoral

MP VAI AVALIAR

PF pede extensão de prazo para finalizar inquérito que investiga Selma por uso de documento falso

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

PF pede extensão de prazo para finalizar inquérito que investiga Selma por uso de documento falso
A juíza Gabriela Carina Knaul de Albuquerque e Silva, atuante na 51ª Zona Eleitoral de Cuiabá, requisitou que o Ministério Público se manifeste sobre possibilidade de atender pedido da Polícia Federal, aumentando prazo para conclusão de inquérito em face da juíza aposentada Selma Arruda, cassada do cargo de senadora.

Leia também 
MPE processa Shopping Três Américas e pede indenização por irregularidades no prédio e no licenciamento

 
“Autos ao Ministério Público Eleitoral para apreciação do pedido de dilação de prazo. Retornando os autos e havendo concessão, remessa direta à Policia Federal para prosseguimento das investigações, sem colheita de novo despacho”, despachou Gabriela Carina Knaul.
 
A Polícia Federal investiga se Selma teria feito uso de documento particular ideologicamente falso perante a Justiça Eleitoral, mais precisamente de um contrato de mutuo ideologicamente falso, para dissimular a natureza do recebimento de R$ 1,5 milhão doados pelo 1º suplente de sua chapa, Gilberto Eglair Possamai.
 
A Justiça Eleitoral casou Selma, o 1º suplente, Possamai, e a 2ª suplente da chapa, Clerie Mendes, pela prática de abuso de poder econômico e arrecadação ilícita de recursos nas Eleições Gerais de 2018. 
 
O Tribunal constatou que Selma Arruda e Gilberto Possamai omitiram fundos à Justiça Eleitoral, que foram aplicados, inclusive, no pagamento de despesas de campanha em período pré-eleitoral. Esses valores representariam 72% do montante arrecadado pela então candidata, o que caracterizaria o abuso do poder econômico e o uso de caixa dois.
 
Entre as irregularidades apontadas, o TRE destacou que a senadora eleita teria antecipado a corrida eleitoral ao realizar nítidas despesas de campanha, como a contratação de empresas de pesquisa e de marketing em período de pré-campanha eleitoral, o que a legislação proíbe. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet