Olhar Direto

Terça-feira, 22 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Menino agredido em padaria é levado para exames e autor de socos responderá por lesão corporal e discriminação

Da Redação - Patrícia Neves/ Da Reportagem Local - André Garcia

12 Abr 2016 - 11:41

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Menino agredido em padaria é levado para exames e autor de socos responderá por lesão corporal e discriminação
A criança de onze anos, agredida a socos na última sexta-feira, 8, dentro da padaria Viena por um então funcionário do estabelecimento comercial foi encaminhada nesta manhã para ser submetido a exame de corpo delito junto ao Instituto Médico Legal (IML). O menino, acompanhado do pai, prestou depoimento nesta manhã, 12, ao delegado Paulo Araújo, que responde pela Delegacia de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica). O menino, que vendia doces,  foi agredido com dois socos no rosto quando saia do estabelecimento carregando um pedaço de bolo doado por uma consumidora do local. O caso veio à tona depois de uma denúncia feita a Polícia Militar, que foi ao local e registrou Boletim de Ocorrência.  

Leia Mais:

Criança agredida a socos em padaria é localizada e vende doces para ajudar pai e oito irmãos

Ao Olhar Direto, o delegado Paulo Araújo, informou que o agressor (que foi demitido da padaria) vai responder por crime de lesão corporal e ainda por discriminação.  Após a ocorrência, o ex-atendente deixou Cuiabá e se escondeu em uma área rural na cidade de Juara (distante mais de 600 quilômetros de Cuiabá).  Ele será ouvido na quarta-feira, 13.  O proprietário do estabelecimento comercial Hernando Brito, assim como o gerente do local, também terão de prestar depoimento sobre o caso. As oitivas foram agendadas para a mesma data.

A presidente da Comissão da Infância e Juventude da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT) , Tatiane de Barros, acompanha a investigação nessa manhã. Ao Olhar Direto ela ponderou que a família do menino é carente. O pai trabalha como segurança e possui no total  nove filhos. Todos estão matriculados na rede pública. Segundo ela, não  há indicativos de que o menino agredido seja vítima de exploração infantil.

O Caso:
 
Três crianças que vendiam paçoca na rua entraram na padaria e compraram algo para comer. Enquanto duas delas dividiam a comida, a terceira e mais nova, vendia paçoca aos clientes do local, momento em que foi recompensada por uma das frequentadoras com uma guloseima. No entanto, ao se dirigir à mesa onde os outros dois estavam, foi agredida pelo funcionário.

“A empresária efetuou o pagamento dos produtos [dados ao menor] e a criança saiu contente pela porta a caminho da mesa dos irmãos, ao passar por um funcionário que estava no local foi covardemente agredido por este com dois socos em seu rosto, desferidos com tanta força que tudo que a criança tinha em mãos caiu em meio aos outros clientes e o menino em cima da mesa onde os outros dois irmãos já estavam se alimentando... as três crianças, humilhadas e assustadas saíram chorando e correndo”, diz trecho da publicação de Willian Gama, produtor cultural que denunciou o caso através da rede social facebook.
 
O produtor conta que ele e outros clientes se revoltaram com a cena e a Polícia Militar foi acionada.  “Chamei o gerente da padaria, que rapidamente recolheu o funcionário, acionei a Polícia Militar, assustado com tudo o que havia acontecido e mais ainda com a atitude do gerente em questão que acoberto o ato do funcionário... Os funcionários foram debochados e o gerente que naquele momento representava legalmente a empresa, permitiu que tudo isso acontecesse.”

Em nota, o proprietário do estabelecimento Hernando Brito declarou estar indignado com o caso e disse que está à disposição das autoridades. Confira a íntegra da nota:

"Em relação ao lamentável fato ocorrido na noite de ontem, noticiado pela imprensa, informamos que o funcionário envolvido foi imediatamente demitido, o que prova nossa total discordância com sua conduta. Registramos, também, que o mesmo foi contratado há poucos dias e estava em período de experiência. Importante, também, registrar nossa indignação  com o fato, que agride nossa história e nossa formação, pedindo profundas desculpas aos nossos amigos e clientes, que saberão reconhecer que tais fatos, por sua própria natureza, sempre  acontecem por iniciativa pessoal, independentemente da vontade ou orientação dos proprietários  ou responsáveis pelo estabelecimento comercial. Quem conhece a Viena, temos certeza, haverá de nos compreender. De agora em diante, estaremos inteiramente á disposição das autoridades competentes. Respeitosamente, Viena Pães e Doces.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet