Olhar Jurídico

Quinta-feira, 09 de julho de 2020

Notícias / Eleitoral

Juíza determina apreensão de material de Mauro Mendes

Da Redação - Laura Petraglia

30 Ago 2012 - 15:06

Foto: Reprodução

Mauro Mendes

Mauro Mendes

Em caráter de liminar a juíza da 51ª zona eleitoral de Cuiabá, Rita Soraya Tolentino de Barros, mandou apreender as bandeiras com ponta em formato de baioneta, enfileiradas nos canteiros centrais das avenidas de Cuiabá, do candidato a prefeito Mauro Mendes (PSB).

Na liminar concedida à coligação Cuiabá Pra Você de Guilherme Maluf (DEM, PTdoB, PMN, PP, PSDB e PRP), ela determinou também que ele respeite um espaço mínimo de dois metros de distância entre cada material de campanha disposto nos canteiros centrais da cidade.

A coligação Cuiabá Pra Você justificou que a representação visa manter a segurança no trânsito assegurando a visibilidade de motoristas e pedestres e, ainda, evitar que a propaganda de um único candidato monopolize os espaços públicos, em detrimento dos outros concorrentes a cargos públicos nas eleições 2012.

Segundo a coligação de Maluf, há um exagero na propaganda do candidato Mauro Mendes, da coligação Um Novo Caminho para Cuiabá, apontando filas de bandeiras com mais de cem metros de extensão, uma colada à outra.

“Os argumentos referentes ao problema do trânsito e ao exagero no expediente publicitário merecem guarida (...) A propaganda realizada ao longo das vias públicas toma como parâmetro, no caso das rotas urbanas, o regular andamento do trânsito, sendo certo que objetos assim justapostos suprimem de condutores e pedestres parcela considerável de seu campo de visão”, disse a magistrada.

A juíza Rita Soraya também observou que “o espaço de dois metros entre cada propaganda respeitará o princípio da igualdade, oportunizando isonomia de oportunidades aos candidatos”.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Celso Vicente
    30 Ago 2012 às 16:56

    Por que será que ela não manda recolher as placas e cavaletes gigantescos do SOBRINHO querido do Conselheiro do TCE?

Sitevip Internet